INTERVENÇÃO CÍVICA EM DEFESA DO PATRIMÓNIO

Em 2012 a ASPA comemorou 35 anos de intervenção em Braga. Criou, nessa data, este blogue.
Em 2017 comemorou 40 anos de intervenção.
Numa cidade em que as intervenções livres dos cidadãos foram, durante anos, ignoradas, hostilizadas ou mesmo reprimidas, a ASPA, contra ventos e marés, sempre demonstrou, no terreno, que é verdadeiramente uma instituição de utilidade pública.
Numa época em que poucos perseguem utopias, não queremos descrer da presente e desistir do futuro, porque acreditamos que a cidade ideal, "sem muros nem ameias", ainda é possível.
DEZEMBRO DE 2013
O novo executivo municipal suspende o PDM na área da ZEP das Sete Fontes.
Foi dado o 1º passo e há, finalmente, a esperança para o Monumento Nacional.

JUNHO DE 2015
O PDM aprovado na Assembleia Municipal de Braga prevê área de construção em ZEP do Monumento Nacional.
Novamente um futuro incerto para o Complexo das Sete Fontes?!

MARÇO de 2016
Publicada a Declaração nº16/2016, de 3 de março, que revoga o despacho que aprovou a constituição de faixa de reserva "non aedificandi" para o lanço da EN 103-Variante de Gualtar, entre o Nó do Hospital e o Nó Norte (Nó do Fojo).
É o fim da variante que atravessaria o Complexo das Sete Fontes e tanto preocupava os defensores do Monumento Nacional.

JULHO 2018
A CMB apresenta às associações e aos proprietários dos terrenos, o "Ponto da Situação e a Estratégia Executória para o Complexo Ecomonumental das Sete Fontes".

quarta-feira, 18 de abril de 2018

DIA INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS

Celebra-se hoje o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, que tem como mote "Património Cultural: de Geração em Geração".
Mas, para que o Património Cultural seja transmitido de geração em geração, consideramos essencial:
CONHECER O PATRIMÓNIO
     ATRIBUIR-LHE VALOR
         PRESERVAR E VALORIZAR
                   ... para TRANSMITIR COMO LEGADO ÀS GERAÇÕES FUTURAS
A ASPA associa-se a esta comemoração promovendo uma reflexão centrada no Património Classificado do concelho de Braga. 
Destacamos os seguintes aspetos:
- monumentos de grande importância para Braga, como a Mamoa de Lamas e o Teatro romano, não se encontram classificados;
- outros, cujo valor foi reconhecido a nível nacional - como Monumento Nacional ou Imóvel de Interesse Público - foram esquecidos e/ou encontram-se em elevado estado de abandono. Alguns em risco de perda!
- que sejam escassos (três) os Imóveis de Interesse Municipal registados no "website" da DGPC.
O texto que divulgamos através do suplemento "Cultura" do Diário do Minho tem como objetivo alertar a opinião pública e as entidades responsáveis pelo património nacional e local para o muito que urge fazer de modo a salvar e valorizar o Património do concelho de Braga. Para o deixar como legado às gerações futuras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário