INTERVENÇÃO CÍVICA EM DEFESA DO PATRIMÓNIO

Em 2012 a ASPA comemorou 35 anos de intervenção em Braga. Criou, nessa data, este blogue.
Em 2017 comemorou 40 anos de intervenção.
Numa cidade em que as intervenções livres dos cidadãos foram, durante anos, ignoradas, hostilizadas ou mesmo reprimidas, a ASPA, contra ventos e marés, sempre demonstrou, no terreno, que é verdadeiramente uma instituição de utilidade pública.
Numa época em que poucos perseguem utopias, não queremos descrer da presente e desistir do futuro, porque acreditamos que a cidade ideal, "sem muros nem ameias", ainda é possível.
DEZEMBRO DE 2013
O novo executivo municipal suspende o PDM na área da ZEP das Sete Fontes.
Foi dado o 1º passo e há, finalmente, a esperança para o Monumento Nacional.

JUNHO DE 2015
O PDM aprovado na Assembleia Municipal de Braga prevê área de construção em ZEP do Monumento Nacional.
Novamente um futuro incerto para o Complexo das Sete Fontes?!

MARÇO de 2016
Publicada a Declaração nº16/2016, de 3 de março, que revoga o despacho que aprovou a constituição de faixa de reserva "non aedificandi" para o lanço da EN 103-Variante de Gualtar, entre o Nó do Hospital e o Nó Norte (Nó do Fojo).
É o fim da variante que atravessaria o Complexo das Sete Fontes e tanto preocupava os defensores do Monumento Nacional.

JULHO 2018
A CMB apresenta às associações e aos proprietários dos terrenos, o "Ponto da Situação e a Estratégia Executória para o Complexo Ecomonumental das Sete Fontes".

terça-feira, 10 de julho de 2018

ENTRE ASPAS "Fonte de S. Pedro - Maximinos - Braga"

A fonte de S. Pedro, em Maximinos, é desconhecida para muita gente. Trata-se de uma nascente e tanque em pedra, com água, que se situa entre a linha de caminho de ferro e os prédios da rua do Caires. Colocam-se várias questões:
Quando foi construída?
Que usos teve no passado? 
O que existia na envolvente da fonte?
De onde vieram as lajes de granito que se observam em redor?
Foi possível encontrar informação que associa a fonte de S. Pedro à antiga Igreja de S. Pedro de Maximinos, bem como a uma das vias romanas que irradiava da cidade. E, no Aquilégio Medicinal, encontramos mais informação sobre a fonte.
Em 2014
Em 2018
No mapa de George Braun (1594)   
Igreja de S. Petro

No mapa de André Soares (1756?) 
Caminho da fonte de S. Pedro de Maximinos 

No Aquilégio Medicinal (séc. XVIII)

(consultar o documento)

Mapa do local (reproduzido do Google Earth)

Nenhum comentário:

Postar um comentário