INTERVENÇÃO CÍVICA EM DEFESA DO PATRIMÓNIO

Em 2012 a ASPA comemorou 35 anos de intervenção em Braga. Criou, nessa data, este blogue.
Em 2017 comemora 40 anos de intervenção.
Numa cidade em que as intervenções livres dos cidadãos foram, durante anos, ignoradas, hostilizadas ou mesmo reprimidas, a ASPA, contra ventos e marés, sempre demonstrou, no terreno, que é verdadeiramente uma instituição de utilidade pública.
Numa época em que poucos perseguem utopias, não queremos descrer da presente e desistir do futuro, porque acreditamos que a cidade ideal, "sem muros nem ameias", ainda é possível.
DEZEMBRO DE 2013
O novo executivo municipal suspende o PDM na área da ZEP das Sete Fontes.
Foi dado o 1º passo e há, finalmente, a esperança para o Monumento Nacional.

JUNHO DE 2015
O PDM aprovado na Assembleia Municipal de Braga prevê área de construção em ZEP do Monumento Nacional.
Novamente um futuro incerto para o Complexo das Sete Fontes?!

MARÇO de 2016
Publicada a Declaração nº16/2016, de 3 de março, que revoga o despacho que aprovou a constituição de faixa de reserva "non aedificandi" para o lanço da EN 103-Variante de Gualtar, entre o Nó do Hospital e o Nó Norte (Nó do Fojo).
É o fim da variante que atravessaria o Complexo das Sete Fontes e tanto preocupava os defensores do Monumento Nacional.

segunda-feira, 19 de maio de 2014

ENTRE ASPAS - "Braga romana e da Antiguidade Tardia – Recursos Patrimoniais e Turísticos"

Diário do Minho - 19 de maio
Na semana em que Braga promove a "Braga Romana", evento que conta com grande envolvimento da população sendo já um atrativo turístico importante, a ASPA não podia deixar de fazer um ponto da situação no que diz respeito a Bracara Augusta.
Desde o Projeto de Salvamento e Estudo (1976), até aos nossos dias, muito pouco foi valorizado

Ler


Estão abertos a público os seguintes: Banhos do Alto da Cividade (CMB); Domus do Seminário de Santiago (Arquidiocese); Fonte do Ídolo (CMB); Domus da Escola da Sé (CMB); Banhos pré-romanos da Gare de Caminho de Ferro (REFER).
Outros aguardam, há anos, uma oportunidade!

Teatro Romano (Alto da Cividade) 
Ampliar










Insula das Carvalheiras


Ampliar
Estruturas descobertas no quarteirão dos antigos CTT (aguardam musealização)   

 Ruínas da casa nº 20-26 da Rua de Santo António das Travessas (Fototeca da UAUM)

Será nos próximos tempos, com o atual executivo municipal, que Braga vai, finalmente, Honrar a herança que recebeu do passado? Esperamos que o recente anúncio da sinalização do legado romano nas ruas e praças de Braga, um desafioantigo da ASPA, constitua o 1º passo no sentido da salvaguarda e valorização de Bracara Augusta
A sinalização contribuirá, com certeza, para um maior conhecimento, por parte da população, sobre a História de Braga.


Estudos:

1) MARTINS, Manuela; FONTES, Luís; BRAGA, Cristina; BRAGA, José; MAGALHÃES, Fernanda; SENDAS, José (2010) - Salvamento de Bracara Augusta: quarteirão dos CTT - Avenida da Liberdade (BRA 08-09 CTT).

Relatório final. Trabalhos Arqueológicos da Unidade de Arqueologia da UM: Memórias; 1), Braga.

2) LEITE, J. M. F., LEMOS, F. S. e CUNHA, A. (2013) – Intervenções arqueológicas nos edifícios n.° 183/185 da Rua Frei Caetano Brandão em 1998-01 e nº 20/26 da Rua Santo António das Travessas em 2001-02.
Relatório. Trabalhos Arqueológicos da U.A.U.M. / Memórias, N.° 31, Braga.
Disponíveis on line no RepositoriUM.

Foto das estruturas descobertas no quarteirão dos antigos CTT - de 2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário