INTERVENÇÃO CÍVICA EM DEFESA DO PATRIMÓNIO

Em 2012 a ASPA comemorou 35 anos de intervenção em Braga. Criou, nessa data, este blogue.
Em 2017 comemora 40 anos de intervenção.
Numa cidade em que as intervenções livres dos cidadãos foram, durante anos, ignoradas, hostilizadas ou mesmo reprimidas, a ASPA, contra ventos e marés, sempre demonstrou, no terreno, que é verdadeiramente uma instituição de utilidade pública.
Numa época em que poucos perseguem utopias, não queremos descrer da presente e desistir do futuro, porque acreditamos que a cidade ideal, "sem muros nem ameias", ainda é possível.
DEZEMBRO DE 2013
O novo executivo municipal suspende o PDM na área da ZEP das Sete Fontes.
Foi dado o 1º passo e há, finalmente, a esperança para o Monumento Nacional.

JUNHO DE 2015
O PDM aprovado na Assembleia Municipal de Braga prevê área de construção em ZEP do Monumento Nacional.
Novamente um futuro incerto para o Complexo das Sete Fontes?!

MARÇO de 2016
Publicada a Declaração nº16/2016, de 3 de março, que revoga o despacho que aprovou a constituição de faixa de reserva "non aedificandi" para o lanço da EN 103-Variante de Gualtar, entre o Nó do Hospital e o Nó Norte (Nó do Fojo).
É o fim da variante que atravessaria o Complexo das Sete Fontes e tanto preocupava os defensores do Monumento Nacional.

sábado, 5 de janeiro de 2013

INTERIORES CIVIS PINTADOS EM BRAGA

Em 1981 o Museu dos Biscainhos e a ASPA apresentaram uma exposição pioneira, organizada por Jorge Curado, sobre Interiores Civis Pintados de Braga.
Tratou-se de uma primeira amostragem de um levantamento das pinturas ornamentais existentes de paredes e tectos de casas bracarenses que aquelas duas instituições estavam a realizar.
Até aquele momento tinham sido inventariadas 42 casas do concelho de Braga, abrangendo as pinturas um período que ia da 2ª metade do sec XVIII até aos anos 50 do sec XX, representando motivos variadíssimos, muitas vezes reproduzindo paisagens locais.
Pretendia-se contribuir para a preservação e estudo daquelas pinturas e alertar para a possível destruição, sem qualquer registo, de algumas casas com interiores decorados, já que algumas apresentavam um avançado estado de degradação.
Destruídas já foram as pinturas do palacete Matos Graça e fortemente ameaçadas encontram-se as do Salão Egípcio, pelo qual a ASPA muito tem lutado, agora de novo em foco através de uma exposição fotográfica da responsabilidade de Fernando Mendes e Luís Machado, a quem felicitamos pela iniciativa, patente na galeria Só Arte, na rua de S. Marcos, 104, onde também se podem recordar os magníficos espaços interiores do desaparecido Ateneu de Braga.

A ASPA nunca descurou os interiores pintados, bastando recordar a campanha para salvar as pinturas detectadas numa casa da rua D. Frei Caetano Brandão, no final da década de 90.


Apresentamos hoje imagens de uma outra casa localizada no centro histórico onde recentemente descobrimos uma sala decorada com pinturas do início do sec XX, uma das quais reproduzindo a vila do Gerês.








Há com certeza outras casas, em Braga, com interiores pintados.
Mais uma vez agradecemos que nos informe, através do mail aspa.patrimonio@gmail.com, caso tenha conhecimento de outras casas com pinturas nas salas, caixas de escadas ou outros compartimentos.

Um comentário:

  1. Descobertas valiosas e lindas . Sei que na Av Central existem varias casas com pinturas ,uma era da Gia Belo Moreira ,esposa do DR Belo , Não posso garantir mas acho que a casa do falecido DR Segismundo tem muitas pinturas- .Parabens pelas lindas fotos

    ResponderExcluir