INTERVENÇÃO CÍVICA EM DEFESA DO PATRIMÓNIO

Em 2012 a ASPA comemorou 35 anos de intervenção em Braga. Criou, nessa data, este blogue.
Em 2017 comemora 40 anos de intervenção.
Numa cidade em que as intervenções livres dos cidadãos foram, durante anos, ignoradas, hostilizadas ou mesmo reprimidas, a ASPA, contra ventos e marés, sempre demonstrou, no terreno, que é verdadeiramente uma instituição de utilidade pública.
Numa época em que poucos perseguem utopias, não queremos descrer da presente e desistir do futuro, porque acreditamos que a cidade ideal, "sem muros nem ameias", ainda é possível.
DEZEMBRO DE 2013
O novo executivo municipal suspende o PDM na área da ZEP das Sete Fontes.
Foi dado o 1º passo e há, finalmente, a esperança para o Monumento Nacional.

JUNHO DE 2015
O PDM aprovado na Assembleia Municipal de Braga prevê área de construção em ZEP do Monumento Nacional.
Novamente um futuro incerto para o Complexo das Sete Fontes?!

MARÇO de 2016
Publicada a Declaração nº16/2016, de 3 de março, que revoga o despacho que aprovou a constituição de faixa de reserva "non aedificandi" para o lanço da EN 103-Variante de Gualtar, entre o Nó do Hospital e o Nó Norte (Nó do Fojo).
É o fim da variante que atravessaria o Complexo das Sete Fontes e tanto preocupava os defensores do Monumento Nacional.

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

CLASSIFICAÇÃO DO ESTÁDIO 1º DE MAIO - Monumento de interesse público

O Estádio  1º de Maio foi, finalmente, classificado como monumento de interesse público pela Portaria nº 740- FO/2012.
A proposta de classificação foi apresentada pela ASPA em 1998, e só agora, 13 anos depois, foi reconhecido o valor patrimonial do ESTÁDIO e fixada a zona especial de proteção. 
Apesar de demasiado tardio, foi finalmente reconhecido o valor atribuído pela ASPA a mais este monumento bracarense.
Atendendo a que a única pista permanente para prática de atletismo em Braga, é exatamente a do Estádio 1º de Maio, sendo local de formação de atletas *, seria expectável que o Estádio tivesse sido alvo de conservação.
Se até há bem pouco tempo Braga tinha uma equipa feminina de atletismo na 1ª divisão, ocupando um lugar de referência a nível nacional, que motivos terão causado uma inversão desse processo que tanto dignificava Braga no mundo do atletismo?
Os(as) atletas e seus dirigentes, bem como aqueles(as) que passaram a integrar outros clubes,  têm com certeza uma palavra a dar sobre o assunto... pois sabem o que deve ser feito para manter o Estádio 1º de Maio como pista de atletismo de referência, por muitos e muitos anos. 
Será que as modalidades desportivas existentes em Braga, têm obtido apoio idêntico ao do futebol? Mais uma reflexão a fazer...

* - Algumas escolas de Braga fazem também formação de atletas que mais tarde integram outros clubes. Não seria desejável que integrassem o Sporting Clube de Braga? Por que motivo não é esse o percurso dos atletas bracarenses?


Nenhum comentário:

Postar um comentário