INTERVENÇÃO CÍVICA EM DEFESA DO PATRIMÓNIO

Em 2012 a ASPA comemorou 35 anos de intervenção em Braga. Criou, nessa data, este blogue.
Em 2017 comemora 40 anos de intervenção.
Numa cidade em que as intervenções livres dos cidadãos foram, durante anos, ignoradas, hostilizadas ou mesmo reprimidas, a ASPA, contra ventos e marés, sempre demonstrou, no terreno, que é verdadeiramente uma instituição de utilidade pública.
Numa época em que poucos perseguem utopias, não queremos descrer da presente e desistir do futuro, porque acreditamos que a cidade ideal, "sem muros nem ameias", ainda é possível.
DEZEMBRO DE 2013
O novo executivo municipal suspende o PDM na área da ZEP das Sete Fontes.
Foi dado o 1º passo e há, finalmente, a esperança para o Monumento Nacional.

JUNHO DE 2015
O PDM aprovado na Assembleia Municipal de Braga prevê área de construção em ZEP do Monumento Nacional.
Novamente um futuro incerto para o Complexo das Sete Fontes?!

MARÇO de 2016
Publicada a Declaração nº16/2016, de 3 de março, que revoga o despacho que aprovou a constituição de faixa de reserva "non aedificandi" para o lanço da EN 103-Variante de Gualtar, entre o Nó do Hospital e o Nó Norte (Nó do Fojo).
É o fim da variante que atravessaria o Complexo das Sete Fontes e tanto preocupava os defensores do Monumento Nacional.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

ENTRE ASPAS - "Conta-nos e Conta Connosco"

Diário do Minho -25 jan 2015
A ideia de que a vivência individual dos homens e mulheres dos diversos estratos sociais e condições, com as diferentes histórias que têm para contar - independentemente de serem pequenas ou grandes vozes - contribui para um conhecimento mais fiel e completo da História, das memória coletivas e da nossa identidade comum, está na base da Associação Arquivo dos Diários.

Concurso “Conta-nos e conta connosco”
O regulamento e os requisitos de submissão ao concurso, bem como o formulário (obrigatório) para participação, encontram-se no Website: www.arquivodosdiarios.pt


Para concorrer, qualquer um pode enviar material autobiográfico que tenha sido guardado no armário, na gaveta, no baú, até 1 de março de 2016: podem ser textos, cartas, diários, acompanhados ou não de fotos e imagens relacionadas com os acontecimentos narrados. 
Os materiais (em suporte digital ou cópia) devem ser submetidos pessoalmente ou por correio registado na sede do arquivo: Biblioteca Municipal e São Lázaro - Rua do saco, e, 1169-107 Lisboa. 
A melhor história apresentada, centrada em fatos vividos ou experienciados pelo autor, terá como prémio a publicação. O Arquivo poderá inda distinguir obras que considere de particular interesse histórico e organizar uma exposição com as restantes obras submetidas.
Para saber mais:
Salvar  a nossa história do esquecimento é uma missão que a todos diz respeito. Participe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário