INTERVENÇÃO CÍVICA EM DEFESA DO PATRIMÓNIO

Em 2012 a ASPA comemorou 35 anos de intervenção em Braga. Criou, nessa data, este blogue.
Em 2017 comemora 40 anos de intervenção.
Numa cidade em que as intervenções livres dos cidadãos foram, durante anos, ignoradas, hostilizadas ou mesmo reprimidas, a ASPA, contra ventos e marés, sempre demonstrou, no terreno, que é verdadeiramente uma instituição de utilidade pública.
Numa época em que poucos perseguem utopias, não queremos descrer da presente e desistir do futuro, porque acreditamos que a cidade ideal, "sem muros nem ameias", ainda é possível.
DEZEMBRO DE 2013
O novo executivo municipal suspende o PDM na área da ZEP das Sete Fontes.
Foi dado o 1º passo e há, finalmente, a esperança para o Monumento Nacional.

JUNHO DE 2015
O PDM aprovado na Assembleia Municipal de Braga prevê área de construção em ZEP do Monumento Nacional.
Novamente um futuro incerto para o Complexo das Sete Fontes?!

MARÇO de 2016
Publicada a Declaração nº16/2016, de 3 de março, que revoga o despacho que aprovou a constituição de faixa de reserva "non aedificandi" para o lanço da EN 103-Variante de Gualtar, entre o Nó do Hospital e o Nó Norte (Nó do Fojo).
É o fim da variante que atravessaria o Complexo das Sete Fontes e tanto preocupava os defensores do Monumento Nacional.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

ENTRE ASPAS - "PDM3" e Alameda a Sul do novo hospital de Braga

No Entre Aspas desta semana a reflexão sobre o PDM de Braga é centrada na rede viária em torno do Complexo das Sete Fontes (Monumento Nacional), sendo apresentada uma solução sustentável, que não penaliza o monumento e facilita a mobilidade e acessibilidade no concelho. 
Recordamos que a opção autárquica definida no PDM (versão de 2001) traça parte da variante à EN 103 atravessando o Vale das Sete Fontes (a ZEP do MN) e, posteriormente, o Plano de Pormenor de Sete Fontes apresentado pelo executivo, mantém essa opção (quando devia ser elaborado um Plano de Pormenor e Salvaguarda), prevendo ainda uma rotunda com cinco vias na cabeceira do Sistema Hidráulico Setecentista
O relatório da participação pública no PP de Sete Fontes permite perceber de que modo a CMB interpretou as propostas dos participantes, aumentando a apreensão por parte dos defensores do monumento.
(Para ler o texto abrir hiperligação em novo separador)
Localização da Alameda a Sul do novo hospital de Braga: fora da ZEP mas em zona de risco
Aproxima-se a data limite de apresentação de propostas para construção da alameda a sul do novo hospital de Braga, conforme definido no anúncio do concurso publicado em Diário da República.
A ASPA alerta para a necessidade de se realizar um acompanhamento rigoroso da obra, uma vez que toda a zona é de grande sensibilidade patrimonial, conforme se verificou aquando da construção do hospital (durante a qual os registos científicos ficaram muito aquém do que seria desejável perdendo-se inúmeros dados).
Tratando-se da encosta sul (soalheira) a possibilidade de achados relevantes é maior, pelo que os revolvimentos de terras e as aberturas de valas para saneamentos podem colidir com estruturas  romanas ou medievais desconhecidas ou mesmo vestígios pré-históricos abundantes em toda a zona.


            Linha preta - ZEP do Monumento
            Linha verde mais curta - Alameda

Mais pormenores sobre o assunto em:


Nenhum comentário:

Postar um comentário