INTERVENÇÃO CÍVICA EM DEFESA DO PATRIMÓNIO

Em 2012 a ASPA comemorou 35 anos de intervenção em Braga. Criou, nessa data, este blogue.
Em 2017 comemora 40 anos de intervenção.
Numa cidade em que as intervenções livres dos cidadãos foram, durante anos, ignoradas, hostilizadas ou mesmo reprimidas, a ASPA, contra ventos e marés, sempre demonstrou, no terreno, que é verdadeiramente uma instituição de utilidade pública.
Numa época em que poucos perseguem utopias, não queremos descrer da presente e desistir do futuro, porque acreditamos que a cidade ideal, "sem muros nem ameias", ainda é possível.
DEZEMBRO DE 2013
O novo executivo municipal suspende o PDM na área da ZEP das Sete Fontes.
Foi dado o 1º passo e há, finalmente, a esperança para o Monumento Nacional.

JUNHO DE 2015
O PDM aprovado na Assembleia Municipal de Braga prevê área de construção em ZEP do Monumento Nacional.
Novamente um futuro incerto para o Complexo das Sete Fontes?!

MARÇO de 2016
Publicada a Declaração nº16/2016, de 3 de março, que revoga o despacho que aprovou a constituição de faixa de reserva "non aedificandi" para o lanço da EN 103-Variante de Gualtar, entre o Nó do Hospital e o Nó Norte (Nó do Fojo).
É o fim da variante que atravessaria o Complexo das Sete Fontes e tanto preocupava os defensores do Monumento Nacional.

domingo, 3 de agosto de 2014

TERMAS ROMANAS - melhoramentos na delimitação

As Termas Romanas (anexas ao Teatro Romano) serão agora delimitadas com muros, e cerca de madeira, estruturas definitivas que retiram o carácter provisório à proteção desta área há anos valorizada. Estes melhoramentos são, sem dúvida, uma boa notícia para Braga!
Mas não podemos esquecer outros recursos de Bracara Augustaque teriam grande importância a nível turísticoque têm sido esquecidos ao longo de anos, tal como:
  • o Teatro Romano (o único equipamento do género descoberto no Noroeste da Península Ibérica);
  • a Domus das Carvalheiras;
  • as ruínas da casa nº 20 a 26 da Rua de Santo António das Travessas;
  • o sítio de Santa Marta das Cortiças.  
Será 2014 o ano em que a CMB apresenta candidaturas ao novo QREN para salvaguarda e valorização destes recursos herdados de Bracara Augusta?
Esperamos que sim.

Diário do Minho - 3 ago. 2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário